Brasil na alienação dos sentidos negativos da política, corrupção generalizada, a falta de reforma política... o ficha limpa não passa o Brasil a limpo!

Enfim, este país de vossas excelências, as mariposas políticas, o povo vive de utopia, pela miséria controlada afim de eleições e reeleições, donde o dinheiro público é investido ao bem patrimonial de políticos; e os jovens se perdem em redes sociais falando que vão ao banheiro!


julho 15, 2011

Hospital em condições sub-humanas!! Cadê o prefeito, o Governador??

Família denuncia que cordão umbilical foi cortado pelo próprio pai, e mãe e bebê teriam ficado numa espécie de enfermaria improvisada

A família de um bebê que morreu por causa de uma infecção generalizada denuncia as péssimas condições de higiene e de infraestrutura do Hospital Sofia Feldman, na Região Norte de Belo Horizonte. A criança nasceu no hospital na sexta-feira (8) e morreu no dia seguinte, após sofrer um choque séptico.

Segundo a mãe da criança, Regina Cícero Machado, o parto foi realizado por uma enfermeira e o cortão umbilical foi cortado pelo próprio pai, por falta de médicos. O homem, sem ao menos lavar as mãos ou usar luvas, teve que ajudar no nascimento do filho.

A família também alega que o bebê nasceu saudável, mas foi colocado numa espécie de enfermaria "improvisada", onde o lixo hospitalar não era devidamente recolhido. "O local tinha infiltrações e eles usavam baldes e cobertores para absorver a água que caía do teto", contou o pintor Pacífico Ribeiro, pai do menino.

Outra reclamação feita é em relação ao banheiro do quarto, que não teria pia para lavar as mãos. Além disso, outras mulheres entravam no local para utilização do banheiro. "O cheiro ruim era muito forte e o local não era devidamente higienizado", ressaltou Ribeiro.

Ainda segundo os familiares, mãe e filho tiveram alta e, quando chegaram em casa, a criança não parou de chorar. Eles voltaram para o hospital no mesmo dia e o bebê foi encaminhado para o CTI, onde morreu duas horas depois. O Hospital Sofia Feldman informou que a infecção do recém-nascido fora adquirida ainda na gestação. A mãe rebateu e afirmou ter feito todo o pré-natal, sem que nenhum problema fosse identificado. A Polícia Civil aguarda o laudo do Instituto Médico-Legal (IML) para apurar o fato.

Veja as imagens feitas pela família:



Enviado por Redação
.

Nenhum comentário: