Brasil na alienação dos sentidos negativos da política, corrupção generalizada, a falta de reforma política... o ficha limpa não passa o Brasil a limpo!

Enfim, este país de vossas excelências, as mariposas políticas, o povo vive de utopia, pela miséria controlada afim de eleições e reeleições, donde o dinheiro público é investido ao bem patrimonial de políticos; e os jovens se perdem em redes sociais falando que vão ao banheiro!


abril 19, 2012

Nostalgia: Jorgina, INSS, e onde está o dinheiro???

É DE PASMAR, JORGINA FREITAS NOMEADA NO GOV. SERGIO CABRAL.
Posted Fevereiro 27, 2011

Recebi a notícia de um amigo na Boca Maldita de Curitiba. e fui conferir, e….BINGO ! A famosa Georgina de Freitas, que roubou R$ 310 MILHÕES do INSS, e por isso foi condenada a 14 anos de prisão, foi solta em junho de 2010, e PASMEM, FOI NOMEADA neste mês de fevereiro, NO GOVERNO DO RIO DE JANEIRO DO ILUSTRE GOVERNADOR SERGIO CABRAL DO PMDB, para assessorar o presidente da Cia. de água esgoto , uma estatal do governo carioca, provavelmente em CARGO DE CONFIANÇA. Ela bem que poderia gerenciar os esgotos do Rio de Janeiro, já que é uma especialista em SUJEIRAS.

POLÍTICA DO LIBEROU GERAL . Isto pode ? Pode sim ! Os valores éticos que constroem uma nação, aqui, estão jogados no lixo. Você está no Brasil, considerado mundialmente como um PAÍS NÃO SÉRIO, pelo estadista francês Charles de Gaulle, e carimbado pelo mundo todo. DETALHE. Nesta semana a mídia divulgou que “sumiram” (tomaram doril ?), de nossa Embaixada em Paris, só DEZOITO OBRAS DE ARTE. Bem……. no Rio de Janeiro, (que é também Brasil), tudo pode acontecer. Lá consagrou-se a frase INVERTIDA: “Polícia é bandido e bandido é polícia ! “. “Tá tudo dominado e misturado “, salvo raríssimas exceções, como a deputada Cidinha Campos, por exemplo.

LINEU TOMASS


Jorgina Maria de Freitas Fernandes é uma ex-advogada brasileira, procuradora previdenciária, organizou um esquema de desvio de verbas de aposentadorias que, descoberto, ficou conhecido como "Caso Jorgina de Freitas".
O total da fraude chegaria a R$ 500 milhões, mais de 50% de toda a arrecadação do INSS a época, estimada em R$ 1,2 bilhão. Foi condenada a 14 anos de prisão em 1992.

A descoberta do esquema fraudulento que envolvia diversas autoridades, advogados, procuradores do INSS e juízes no Rio de Janeiro teve início a partir da denúncia envolvendo o então Ministro da Previdência, Antônio Rogério Magri.
A ex-procuradora do INSS foi condenada em 1992 por comandar uma quadrilha que desviou 310 milhões do referido órgão (dos quais apenas 82 milhões foram reavidos).
Em 1997, Jorgina foi presa na Costa Rica, para onde havia viajado secretamente para fugir dos "rigores" da lei brasileira, e posteriormente repatriada. Nesse mesmo período, após ser acusada de fraudar os cofres nacionais, submeteu-se a cirurgias plásticas.
Teve o registro profissional cassado pela Ordem dos Advogados do Brasil, no dia 21 de fevereiro de 2001. Parte do dinheiro desviado para outros países foi recuperado: foi a primeira vez que o governo brasileiro conseguia reaver parte dos valores remetidos ilegalmente para outras nações, num trabalho que serviu de aprendizado e parâmetro para ações futuras.
Jorgina ficou presa em regime fechado no Instituto Penal Talavera Bruce, onde, entre outras atividades coordenava o concurso "Miss Presidiária". Em janeiro de 2007 foi transferida para outro presídio também no Rio de Janeiro, onde lhe foi concedida a prerrogativa do regime semiaberto, por meio do qual poderá sair e trabalhar, retornando apenas para dormir na penitenciária.
Em maio de 2010, quando mais de R$ 69 milhões subtraídos haviam sido devolvidos, Jorgina foi condenada a devolver R$ 200 milhões, extensível também ao contador Carlos Alberto Mello. Todos os bens dos envolvidos devem ir a leilão.
Em 12 de Junho de 2010, Jorgina foi solta depois de 14 anos presa. [Wikipédia]


Nenhum comentário: