Brasil na alienação dos sentidos negativos da política, corrupção generalizada, a falta de reforma política... o ficha limpa não passa o Brasil a limpo!

Enfim, este país de vossas excelências, as mariposas políticas, o povo vive de utopia, pela miséria controlada afim de eleições e reeleições, donde o dinheiro público é investido ao bem patrimonial de políticos; e os jovens se perdem em redes sociais falando que vão ao banheiro!


outubro 15, 2011

Médicos sem vergonha!!!

Médicos que ganham até R$ 22 mil por mês e deveriam cumprir 40 horas semanais são flagrados dando expediente em consultórios particulares.


Médicos do hospital público mais movimentado de Brasília usavam o horário de trabalho para atender pacientes em consultórios particulares. A denúncia chegou ao secretário de Saúde que demitiu a chefe do setor, como mostra a reportagem de Júlio Mosquéra e Diego Moraes.

Tatiana Aparecida depende da consulta com um endocrinologista para fazer uma cirurgia, e não tem previsão de atendimento. Há dois meses, ela espera por uma vaga nos hospitais públicos da capital do país.

Se eu quiser fazer a cirurgia no tempo previsto que eu devia estar fazendo, vou ter que procurar um particular. Na rede pública não tem”, ela conta.

Enquanto Tatiana espera na fila, endocrinologistas que deveriam atender no Hospital de Base, o maior hospital público de Brasília, dão expediente em consultórios particulares.

O produtor Diego Moraes flagrou, com uma câmera escondida, médicos que ganham até R$ 22 mil por mês e deveriam cumprir 40 horas semanais de trabalho. Entre eles, Mário Sérgio de Almeida, um dos mais antigos endocrinologistas do Hospital de Base.

Estou lá há 28 anos, no Hospital de Base. Desde outubro de 1983. Atendo aqui e lá”, ele revela.

De acordo com a escala da secretaria de saúde, ele deveria trabalhar na rede pública de segunda a sexta-feira, de 8h as 12h e de 14h as 18h. Mas na maior parte da semana está no consultório particular, como informou a secretária dele.

A médica Adriana Carvalho Furtado também foi encontrada trabalhando em seu consultório particular, quando deveria estar no hospital público.

Até a chefe da endocrinologia do hospital, Cláudia Gurgel, deixa de cumprir as 40 horas na rede pública e divide o tempo com o consultório particular.

A direção do Hospital de Base admitiu que os médicos deveriam estar no hospital quando trabalhavam nos consultórios particulares. O secretário de Saúde Rafael Barbosa mandou abrir investigação para apurar as denúncias, mas já decidiu exonerar do cargo a chefe da endocrinologia. [Jornal Nacional]


E de toda esta desfaçatez, aparece um tal de secretário de Saúde em rede nacional afirmando que irá reduzir em 50% a jornada de trabalho destes médicos e reduzir o salário em 40%...

... é isto mesmo, este secretário de Saúde está é dando um aumento salarial para estes médicos sem escrúpulo!!!

Nenhum comentário: