Brasil na alienação dos sentidos negativos da política, corrupção generalizada, a falta de reforma política... o ficha limpa não passa o Brasil a limpo!

Enfim, este país de vossas excelências, as mariposas políticas, o povo vive de utopia, pela miséria controlada afim de eleições e reeleições, donde o dinheiro público é investido ao bem patrimonial de políticos; e os jovens se perdem em redes sociais falando que vão ao banheiro!


setembro 02, 2011

Seguro-Desemprego e a perca de um direito

De acordo com o artigo 7º da Constituição, o trabalhador urbano ou rural tem direito ao seguro-desemprego, em caso de desemprego involuntário. Este benefício tem a finalidade de prover assistência financeira temporária ao empregado que foi dispensado involuntariamente do seu emprego.

O Seguro-Desemprego foi previsto pela primeira vez na Constituição Federal de 1946. No entanto, ele só foi regulamentado no ano de 1986, por meio do Decreto-Lei nº 2.284, de 10 de março de 1986, e do Decreto nº 92.608, de 30 de abril de 1986.

Com o advento da Constituição Federal de 1988, o benefício do Seguro-Desemprego passou a integrar o Programa do Seguro-Desemprego que tem as seguintes funções:

a) prover assistência financeira temporária ao trabalhador desempregado em virtude de dispensa sem justa causa, inclusive a indireta, e ao trabalhador comprovadamente resgatado de regime de trabalho forçado ou da condição análoga a de escravo;

b) auxiliar quem tem direito ao seguro-desemprego na preservação e busca de trabalho, promovendo para tanto, ações integradas de orientação, recolocação e qualificação profissional do trabalhador. [Quem tem direito]

Convenhamos que há muitos abusos, mas, o Governo Federal decidir reforçar os pré requisitos para o trabalhador ser atendido pelo seguro-desemprego, é prejudicar algo que em dezenas de anos, os trabalhadores não eram favorecidos.

Antes de receber o benefício, será preciso tentar um novo trabalho em até três empresas diferentes. O empregado que recusar uma proposta de emprego do governo sem justificativa, também ficará sem o benefício. Com isso, o governo pretende reduzir os gastos com o seguro-desemprego, no ano que vem.

A meta é evitar casos em que profissionais recorrem ao seguro sem necessidade.

Assim, o governo pretende aplicar com mais rigor a lei que diz que o trabalhador desempregado que rejeitar uma vaga vai perder o seguro-desemprego se não justificar a recusa. Para isso, criou um sistema que integra dados do Sistema Nacional de Emprego (Sine), das Superintendências Regionais do Trabalho e Emprego (SRTEs), Caixa Econômica Federal e entidades de qualificação profissional que já vigora em 23 estados e no DF e deve englobar todo o país até 2012, segundo o Ministério do Trabalho e Emprego.

Em 2010 o Brasil gastou cerca de R$20 bilhões com seguro-desemprego.

Projeto aprovado anteontem na Câmara condiciona o pagamento do benefício a matrícula do desemprego em cursos profissionalizantes.


Afirmam que o gasto com o seguro em 2010 é de R$20 bi, mas, quanto já foi devolvido aos cofres públicos dos desvios com a corrupção??

Aliás, a maioria dos corruptos simplesmente pedem para sair e pronto, nada devolvem, mesmo comprovado os desvios!!

Ou seja, o trabalhador é obrigado a aceitar um emprego goela abaixo, porque perderá seu direito ao seguro-desemprego de qualquer maneira!!

Nenhum comentário: